4 riscos que você corre quando não planeja a sua transição de CLT para freela

Planejamento é uma das coisas mais importantes para se tornar freela e para garantir um crescimento sustentável neste formato de trabalho. Como sempre ressaltamos por aqui, não se vira freela da noite para o dia: é preciso de organização, disciplina e muito foco.


Normalmente, a transição costuma levar alguns meses ou até por volta de um ano. Tudo depende da sua maturidade profissional e do quão ousada e radical será a mudança. O que não muda é a necessidade de planejamento, principalmente referente às finanças, formalizações, fluxo de trabalho e rotina.

 

Leia também: Como se tornar freelancer? Dicas práticas para realizar a sua transição.

 

E para te convencer sobre isso, listamos 4 riscos que você corre quando não planeja muito bem a sua transição de CLT para freela. Esperamos que você não passe por nenhum desses perrengues, fica a dica!


1. Precisar voltar ao formato CLT


Um dos maiores pesadelos para alguns freelas é precisar voltar à vida CLT. Infelizmente, isso pode acontecer se você não planejar muito bem a sua transição. Caso você tome a decisão de repente, baseando-se apenas nas emoções, pode ser que em pouco tempo as coisas desmoronem e você precise ganhar dinheiro de algum jeito.


Para se tornar freela full time é preciso já contar com uma boa cartela de clientes fixos ou grandes projetos para ter o mínimo de segurança e estabilidade. E isso leva um tempo, não acontece do nada!


O que faz com que algumas pessoas precisem voltar ao trabalho CLT é justamente a falta de organização e planejamento em relação às entradas financeiras e reservas de emergência. No desespero, acabam se sentindo sem saída e voltam para o mundo corporativo.


2. Acreditar que a vida freela não é para você


Quando não nos organizamos para uma grande mudança em nossas vidas, as coisas podem acabar saindo muito diferente da ideia que tínhamos em nossa cabeça. A vida freela com certeza não é um mar de rosas que deve ser idealizado, mas é muito boa para quem curte liberdade e flexibilidade.


O que pode acontecer é que a falta de planejamento para realizar a transição acaba ocasionando um dia a dia caótico, confuso e repleto de instabilidade. E vamos combinar que não é fácil lidar com tudo isso, né?


Se as coisas saírem do controle, pode ser que você acabe achando que a vida freela se resume a essa confusão toda e desista do formato de trabalho autônomo. Por isso, planejamento é essencial para realmente viver o melhor da vida freela e todos os seus benefícios.


3. Ficar muito ansiosa


A vida do profissional autônomo em suas melhores condições é, por si só, um mar de instabilidades e esse é um dos grandes desafios do dia a dia. Como não entrar no looping eterno da ansiedade?


O ponto aqui é que isso pode piorar bastante quando não há planejamento na transição do CLT para a vida freela. Cuidar da saúde mental é essencial para qualquer pessoa, inclusive para os freelas, que precisam de ainda mais cuidado para não se perderem nas trevas da ansiedade.


Quanto mais segurança e estabilidade for possível ter no momento da transição, maiores são as chances de você se sentir mais tranquila com a sua decisão e os novos desafios. O planejamento nessa etapa, portanto, é muito importante para que você não abale drasticamente o seu bem-estar.


4. Pegar qualquer projeto e cobrar menos do que você merece


Por fim, a falta de planejamento também é um pesadelo porque faz com que muitos freelas caiam no desespero. Sem uma cartela de clientes fixa mais estável e nem reservas financeiras o suficiente para sobreviver aos dias de luta, acabam pegando qualquer projeto e, muitas vezes, cobram menos do que deveriam.


Com isso, desvalorizam o próprio trabalho e o grande perigo é entrar em um looping em que trabalham muito, mas ganham pouco. Nesses casos, a vida freela deixa de valer a pena financeiramente, pois você trabalha mais de dez horas por dia e, mesmo assim, ainda ganha muito abaixo do que gostaria.


Com planejamento, isso não acontece tanto, pois você faz a transição quando se sente mais segura e tem uma boa reserva financeira de emergência. Dessa forma, não precisa cair no desespero e aceitar qualquer job por valores muito abaixo do que você cobraria normalmente.


O que levar em consideração ao planejar a sua transição?



Há muitos pontos que precisam ser considerados quando se está planejando a transição de CLT para freela, entre eles:

  • a sua definição de serviços e perfil de clientes;

  • a estruturação do seu portfólio;

  • a criação de uma reserva financeira de emergência;

  • a manutenção de uma cartela fixa de clientes;

  • fluxos de processos e rotina de trabalho estabelecidos.

É claro que há muito mais coisas, mas isso é o básico para viver com o mínimo de tranquilidade nos primeiros meses como freela. Sempre existirão instabilidades, afinal, é a premissa para ser um profissional autônomo, mas há maneiras de evitar muitas dores de cabeça no início dessa jornada.


Não tenha pressa para fazer tudo correndo. Aproveite enquanto ainda está no formato de trabalho CLT para se organizar e usufruir do melhor dos dois mundos para, depois, mergulhar com tudo no universo freela!


 


Sobre o Universo Freela


O Universo Freela foi criado por Ana Luísa de Oliveira e Bruna Cosenza. Por aqui , você encontra conteúdos nos mais diversos formatos com o objetivo de orientar, informar e inspirar todos os que desejam trabalhar como profissionais autônomos. Queremos ajudar você a realizar o seu sonho de ter uma carreira freelancer sustentável, com muito mais empoderamento e liberdade.


Acompanhe as novidades em nosso Instagram, @universo.freela, e cadastre-se na nossa newsletter para receber conteúdos exclusivos.



39 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo